Total de visualizações de página

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho é Historiador, Literato, Letrista, Professor, Blogueiro e Jornalista Independente.

1º Lugar em Auto de Natal no Estado do Ceará, atuando na ocasião como o Rei-Mago Baltasar em 2004.

Criador, Idealizador e Presidente do Jornal Delfos-CE (desde 2007).

Criador e Idealizador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). 

Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

Criador da exposição histórica: "PACOTI: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste (2010). 

Formou-se em Licenciatura Plena em História (2010).

Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

Ministrou aulas de História, Geografia, Arte e Religião em Pacoti e em Guaramiranga, no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel e na Escola Linha da Serra (entre 2008 a 2015).

2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012).

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizados pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck.

Publica entrevistas, notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.

Recebeu a Comenda Domitila por Mérito Literário, da SECULDT-Secretaria de Cultura, Turismo e Desporto de Pacoti (2016).

Passou na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 2.370 inscritos no país. (2016).

Concluiu Pós-Graduação em Gestão Escolar (2016)

Passou novamente na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 3.207 inscritos no país. (2017).


sábado, 21 de setembro de 2013

ATAQUE TERRORISTA NO QUÊNIA DEIXA 20 MORTOS

ATAQUE TERRORISTA NO QUÊNIA DEIXA 20 MORTOS

 




ATAQUE TERRORISTA NO QUÊNIA DEIXA 20 MORTOS

Um ataque terrorista está acontecendo no Quênia e já deixou pelo menos 20 mortos até agora.

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
21/09/2013

VÍDEO DO ATENTADO NO JORNAL COLUNA DIAMANTE:

sábado, 14 de julho de 2012

O GOLPE DA ANTOLOGIA



Em 2011 esse sujeito conhecido como PAULINHO DHI ANDRADE, que deve se chamar na verdade PAULO CÉSAR BOMFIM até onde sei fez uma proposta na comunidade NOVA ORDEM DA POESIA, no Orkut, tinha inclusive um site de uma tal "EDITORA MADRE", que não se encontra mais no ar através do qual ainda fez um concurso entre nós, a época 37 poetas, de vários Estados do Brasil. 

De lá pra cá deu números de conta, uma dele e outra de uma suposta GRAFISSET, que, segundo ele, se recusa a devolver o dinheiro depois que o Paul Bomfim dexistiu de fazer a tal Antologia Poética, a qual fui convidado a participar por depoimento e trocamos e-mails, onde enviei poemas e fiz o depósito de 70 reais na conta da Grafisset. Muitos poetas pagaram mais de 70, deram 100, 200 reais, ou até mais para que o número de livros fosse aumentado.

O acordo inicial seria o Paulo Bomfim dar metade do dinheiro à Editora e a gente a outra metade, e cada um receberia de 3 a 10 livros, no meu caso particular seria 10, e o número de poesias seria o mesmo número de livros que cada um receberia. A gente venderia os livros e a metade do lucro seria novamente depositado na conta do Paulo ou da Grafisset para pagar o que ele gastaria.

Um detalhe deve ser lembrado, ele pediu que adiantássemos mais dinheiro mesmo quando já não criamos mais no andamento da antologia. Ele começou a dar desculpas de até amigos seus que tinham morrido, pelo menos uns 3 e de que ficara desempregado e tantas outras coisas e começou a falar no meio de um outros projetos de chamados "MULHERES NUAS" e "HOMENS APAIXONADOS" e usou como desculpa que  lançamento do livro seria junto com o lançamento desses outros projetos em São Paulo e começou a convidar os 37 poetas para ir.

Acontece que até o local que ele tinha conseguido já não estaria mais disponível e ele teria que arranjar patrocínio agora. Mas, o pior é que tudo acontecia ao mesmo tempo, até um tal de ALESSANDRO em que ele vem falando muito teria ficado doente quando o Paulo supostamente iria falar com ele e depois era o Paulo que ficaria doente, ora gripado, ora deprimido pelas mortes desses amigos, ora o tal Alessandro nunca estava na tal gráfica, de modo que em um ano não conseguiam mais se encontrar.

Após um ano nessa enrolação fica mais do que claro que isso foi um golpe, O GOLPE DA ANTOLOGIA, em que o sujeito brincou com o sonho de vários poetas amadores de publicar um livro e ainda se faz de vítima quando todos nós cobramos, chegando a dizer que isso até ASSÉDIO MORAL era quando dei o ultimato de processá-lo por estelionato, danos morais, danos pessoais, 171 e uso de má fé. 

Não é justo que esse sujeito de má-fé saia impune. Este historiador que voz escreve o faz para que esse caso não se repita mais com ninguém. E que a notícia se espalhe pelo mundo para que esse tal PAULINHO DHI ANDRADE OU PAULO BOMFIM nunca mais repita a dose de ficar com dinheiro de ninguém.

AROLDO FILHO
Historiador cearense criador do 1° Aquivo Público do interior do Nordeste, Arquivo Municipal José Audízio de Sousa. Criador do Jornal Delfos-CE. Sócio do Instituto Desenvolver. Criador da Associação Cultural SEMPRE. Criador da exposição histórica Pacoy: uma HISTÓRIA em documentos.
15/07/2012

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

EPICUROTITÚMERA

EPICUROTITÚMERA


E se a cada dia eu esquecesse quem sou e o que sei, quem eu seria?



Eu sou o que penso?



E se não penso, não sou?



Sou o que penso que sou ou aquilo que pensam de mim?



Suo ação, pensamento, matéria bruta ou mero fruto cultural?



Essas e outras perguntas se fizeram muitos pensadores, dentre eles aqueles que a si intitularam ou receberam de outrem a alcunha de filósofos, cujo pensamente estivera sempre voltado para a dita VERDADE suprema que nunca surge, pois segundo Kant, ela simplesmente não há.



Entre os temas abordados, um bem complexo ainda hoje é a FELICIDADE, que muitos depois de Nietzsche crêem não existir. Neste barco não sigo, vou acompanhar o pensamento de um sujeito bem mais antigo chamado Epicuro que há mais de 2 mil anos atrás propôs três ingredientes para alcança-la. E me parecem bem racionais:



1.AMIGOS, daqueles verdadeiros e raros. E aconselhava que não se fizesse nenhuma refeição sem a presença de algum, pois comer só era feitio lobos e leões, jamais de homens. Mais importante seria a companhia que a própria comida.



2.AUTO-SUFICIÊNCIA, liberdade de ir e vir, independência financeira. Abandona Atenas por causa desse sentimento. O filósofo Diógenes constrói um muro com os ensinamentos mais tarde em que pessoas poderiam educar-se para a felicidade segundo o epicurismo.



3.AUTO-ANÁLISE, a própria vida deveria passar por reflexões constantes para que se possa escolher com clareza aquilo que vale ou não à pena.



Meus argumentos cromotófilos irão partir de um mimetismo intelectual, homotitúmera dos filamentos de Epicuro. Todavia, partirei da auto-análise, pois sou um analista do empirismo, materialismo, ateísmo, antimisticismo, racionalismo e livre-pensamento, além das minhas questões intimistas. Também sou um sintetizador.



A minha melotonina semântica cogita nesse jogo a criar o mimecrímero lírico capaz de juntar o trio de ingredientes do filósofo com outra pregação sua; justamente aquela que foi interpretada pelo avesso: o prazer para ele era essencial, contudo, nunca o exagero. Não defendia o luxo como fonte do bem-viver, e mesmo não luxava, pelo que consta.



Sem mais delongas, sintetizo daqui: não ao exagero + auto-análise + auto-suficiência + amigos = Aceitação social livre de qualquer ordem superior, sendo a pessoa em questão racional e controladora dos próprios desejos, havendo assim um equilíbrio tanto no quesito razão, quanto emoção, mantendo o seu corpo isento de vícios.



Tudo isso em síntese significa o seguinte: FELICIDADE = EQUILÍBRIO. Prossigo agora uma análise sobre o PONTO DE EQUILÍBRIO.

  • IMPULSO, referente ao ID Freudiano. É o primeiro obstáculo a ser quebrado, ele é responsável por salvar-nos a vida muitas vezes, quando há momento de perigo, contudo, o mesmo longe do perigo só nos estressa e pode levar ao suicídio. Quem é feliz não se mata.
  • DESEJO, diferenciá-lo de vontade. Esta parte mais do âmago que do exterior, é perene, forte, e mantém-se a mesma; enquanto aquele sacia-se a cada minuto um diferente, por isso mesmo pode partir mais de fora que de dentro, permitindo aos outros manipular-nos, pois é nossa maior fraqueza.
  • VONTADE, deve ser alimentada a todo custo no combate aos desejos falsos (vícios). Não que não atendamos nunca aos desejos, pelo contrário, não podemos fugir deles totalmente, pois são vitais, mas evitemos pelo menos os criados pela cultura dominante. A vontade deve superar toda e qualquer cultura, pois esta nos aprisiona sem precisão e aquela nos liberta de tudo e de todos. Solte suas amarras, todas elas.
  • NATUREZA, tudo nela está em constante procura pelo equilíbrio, pelo menos à parte que nos está cabível de amostra. É um ajuste-desajuste imperfeito e fenomenal, possivelmente finito ( por ser real) e muito extenso, onde habita a vida e o inanimado, o compasso e o caos.
  • VIDA, surge desse harmônico jogo impreciso. pegando o piagetiano equilíbrio da mente que tende para o desequilíbrio e vice-versa, sem limite, juntanfo-se à Lei de Lavoisier, e à Teoria da Evolução, pode-se até lembrar de atração da massa como estudou Newton, Gravidade. Isso tudo, química, física e biologia, sempre se esconde no semblante das ciências, das verdadeiras, ( não são ciências: Parapsicologia, Espiritualismo de Kardec nem outro qualquer, Positivismo de Comte, Nazismo de Hitler, Astrologia, entre outras religiões, com ou sem uma divindade ou mediunidade para lhe representar, Metafísica [pelo menos na parte em que se possa atravessar o tempo, como queria Einstein. E na parte dos buracos de minhoca ou buracos-brancos, em que se iria para os multi-versos de Holking], Filosofia da Mente, uma parte da Astronomia [Expansão do Universo e Big-Bang], Força da Mente [segundo os desse culto você pede ao Universo que ele lhe dará, e esse pedido é feito simplesmente imaginando; servindo tanto para puxar o dito BEM quanto o dito MAL para o ser pensante, portanto, deve-se ter sempre um PENSAMENTO POSITIVIVO, uma vez que a sua mente emanaria uma radição que atriria AZAR e SORTE, balela pura. É um simples caso de Neo-Positivismo Agudo], e às vezes a própria ciência, pois uns cientistas provam que outros estavam errados com frequência [como Galileu que provou que Aristóteles estava errado da Torre de Pizza sobre peso e gravidade e Antônio R. Damásio quie rebate o dualismo de Descartes, do Cógito em que mente e corpo estariam separados], como a Teoria das Inteligências Multiplas de Gardner que deveria ser recauchutada [excluindo-se a parte em que gênios existiriam, por exemplo]), no equilíbrio que sempre se mostra cedo ou tarde, como na primeira Lei da Termodinâmica em que energia não pode ser destruída nem criada.
  • PONTO DE EQUILÍBRIO HUMANO, este se dá não só pela moderação dos desejos, auto-análise, auto-suficiência, amigos e prazer, como também pelo suprimento de outras necessidades básicas, como: moradia, saúde, saneamento, emprego, família equilibrada, boa educação, alimentação de qualidade, condições de higiene tanto individual quanto do ar, água, visual, sonora e luminosa, etc.
SÍNTESE:
De tudo isso, o que mais importa é a auto-análise, e para tanto há que se ter saúde e acesso à leitura, muita de preferência. Acesso ao conhecimento é importante, pois sem ele não há como realizar uma análise realmente crítica da situação. Sem ver pensamentos diferentes não há como formar idéias próprias, logo; não se tem identidade.

A cultura em si não dá identidade ao homem, esta só é conquistada pela razão; aquela só deforma boa parte do que seria certo, transformando em errado perante a mente dos dominados (pecado e prisão) e fazendo-os matarem-se para que haja um domínio geral de alguém.
POR QUE É MAIS IMPORTANTE A AUTO-ANÁLISE?
  1. Por que através dela você descobre o que realmente vale à pena.
  2. Por que com ela você busca força de VONTADE.
  3. Por que pensando você consegue saber quais os IMPULSOS aceitáveis e reprováveis.
  4. E, acima de tudo, sem refletir você nunca saberá se é feliz nem que a FELICIDADE existe.
AROLDO FILHO
Pacoti-CE, 10/12/2008
5:00 AM

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

PIANO


PIANO

Faz-me flutuar em tuas tristes diretrizes
Irradiando prazer sinfônico num romantismo sem igual
Melodrama repleto de poesia e carnaval
Voo a dançar
Passos de euforia
Pérola-negra em caldas
Mil donzelas e meretrizes
Sideral espaçonave
Siderúrgica filamental
Ave em chamas
Conclave sem clave
Incógnita que nem Eratóstenes resolveria
Por ti transpassa a latitude ptolomesca de Pitágoras
Alquarísmica alegoria de cunho artesanal
Frenesi sem o qual a humanidade se consumiria
Quando todos os gênios e deuses desabarem
A música ainda reinará na Távola de Arthur rei
Musa diáfana a compor-me desejos
Deus-dará
Irei
A Churman,  Chopin ou Bach,
Beetowen, Tchaikóviski, Mozart, sei lá!
Villa-Lobos, o oráculo brasileiro
Piano, dê-me uma nota preta de amor por inteiro
De tuas cordas vocais ouço a foz do conhecimento
Talvez seja só sentimento
Brota em meu peito uma dor que ao canto encanta
Não dói, acalanta
Emana palavras em vez de lamentos
Voz melodiosa de emoção
Avida é uma canção
Festa a ir e vir, estação
Manto da prisioneira liberdade
Expressão impressa
paisagem da tarde sem pressa
No baile da Deusa
Felicidade

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
Pacoti-Ceará, 25/11/08, 6:00 Am

domingo, 23 de novembro de 2008

PONTO DE EQUILÍBRIO

PONTO DE EQUILÍBRIO

Felicidade é alcançar o PONTO DE EQUILÍBRIO MENTAL E CORPORAL.
O que isso quer dizer?

Primeiramente, que todos nós temos sonhos, medos e carências. Logo, alcançar os sonhos, eliminar os medos e suprir às carências; isso é achar o ponto de equilíbrio.
Todavia, quando se alcança um sonho se constrói um maior. Quando se vão todos os medos podem até surgir outros ou não, muito dificilmente existirá quem não tema nada.E sempre haverá carências físicas e psíquicas.

O PONTO DE EQUILÍBRIO é saber lidar com esses medos sonhos e carências, administrando bem a vida em função deles e não deixando-se controlar por eles.
Para tanto é necessário conseguir estabilidade Emocional e Racional.

AROLDO FILHO

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

ODE À FELICIDADE

Felicidade é encontrar o ponto equilíbrio.
Para se chegar a ele é preciso confiança em algo
Ou em si mesmo, de preferência.
Felicidade está intimamente relacionada à segurança.
E não a momentos de euforias, o que se chama alegria e é passageiro.
Felicidade é algo permanente, equilíbrio de corpo e mente

"Momentos felizes" não é igual à felicidade.
Alegria é prazer momentâneo.
a FELICDADE é um ponto de equilíbrio constante de mente e corpo são. É causada por um estado de segurança, ocasionado por fé em si mesmo ou daqueles que lhe estão próximos.
Ou ainda uma pseudo felicidade: "momentos felizes" ou fé em algo inexistente, ou o famoso "carp diem"

Direfente do que Nietzsch pensava, não é possível haver "momentos felizes" sem que a própria felicidade exista, esta é real e bem provável; pois é justamente um estado de confiança que faz com que o sujeito que o possua possa permanecer firme perante as mazelas do mundo, este, o feliz, não se mata por que Deus não existe ou por que ninguém lhe entende, uma vez que se eleva a esse grau de tranquilidade não há o que o abale constantemente.

Felicidade é a queridade LIBERDADE que tanto buscamos, mas esta só é possível de alcace por um forte intelecto.

AROLDO FILHO
Pacoti-Ceará
21/11/08

domingo, 19 de outubro de 2008

SE

Se o rei fosse o curinga
Poderíamos desmascarar a graça da existência?
Se o império pertencesse ao trovador
As canções de amor dominariam os continentes?
Se em vez de cantar as mazelas do mundo
Eu almejasse a beleza nos olhos de Aline
E me rendesse às nereides tentadoras
Será que isso me bastaria?
Se os gladiadores dominassem todas as armas
Na política só tivessem boêmios
Todas as questões diplomáticas
Seriam resolvidas no punho da espada?
Se eu não fosse ateu
Só neste ano aceitaria a Teoria da Evolução?
Mas se a vida fosse um teatro escrito
Num poema Drummondiano
Interpretado por Paulo Autran
Quem sabe houvesse razão
No poder in natura
E uma última flor amarela germinaria
No jardim dos intelectuais
E um sorriso de moça
Regeria o universo
Ninguém, careceria de meus versos
Para ser feliz

AROLDO FILHO
12h e 5 min
19/10/2008